Como Utilizar corantes naturais

   

Os corantes naturais são utilizados pela humanidade há mais de 5.000 anos, atingindo o perfeito domínio das técnicas de sua aplicação entre 1.800 a 1.900, entrando em desuso quando a indústria química sintetizou as primeiras anilinas. Há uma variedade de plantas que podem ser usadas para se produzir corantes vegetais. Grandes quantidades de produtos vegetais são necessários para se produzir estes corantes. Os corantes naturais são portanto, raramente úteis em uma escala comercial. No entanto, para uso caseiro ou por grupos de mulheres, eles podem ser úteis. Assim como corantes naturais, tente comprar permanganato de potássio na farmácia e use-o como um corante para obter uma cor roxa escura. Uso de mordentes Os mordentes preparam as fibras de algodão e as ajudam a absorver melhor o corante. É possível tingir sem usar mordentes – algumas poucas plantas não precisam de mordentes. Mas o uso de mordentes geralmente produzirá cores melhores, mais vívidas e mais permanentes. Muitos produtos químicos podem ser usados como mordentes, dos quais a maioria são muito tóxicos. Os mordentes mais comuns são o alume, sulfato de cobre, dicromato de potássio, sulfato ferroso e tanino. A maioria destes produtos podem ser comprados em lojas de ferragens ou drogarias. Frequentemente dois mordentes são misturados para se conseguir melhores resultados.Mordentes diferentes produzirão cores diferentes do mesmo corante. Você pode também experimentar e ver que resultados obtém. O mordente de alume normalmente dá os melhores resultados pois é barato, confiável e produz cores vívidas. O sal, vinagre e cinzas de madeira podem também ser usados como mordentes se outros produtos não estiverem disponíveis. Produtos vegetais Colha as flores, folhas, raízes, cascas, frutos e líquens que você planeja usar. Aproximadamente 500 g de material de plantas é necessário. Isto é o suficiente em folhas, flores, para encher metade de um balde de 20 litros. Se necessita menos se você usar madeira ou cascas como fonte de corantes. Ferva o material vegetal com 10 litros de água (metade de um balde do mesmo tamanho) durante aproximadamente uma hora até que o corante fique com uma cor escura. (Anil e sorgo não precisam ser fervidos.) A seguir, retire o material vegetal. Há muitas outras que podem ser usadas,procurei escolher as que são mais comumente conhecidas. Use materiais de plantas que são facilmente encontradas. A casca de cebola pode ser guardada por algum tempo. Anil O anil é muito conhecido na África Ocidental como um corante azul escuro e forte. As plantas podem ser cultivadas especialmente para tingimento apesar de que em muitos países elas crescem de maneira selvagem. O anil não precisa de mordentes, produtos químicos ou de ser fervido – ao invés, o seu estômago é que precisa ser forte!O anil é extraído de folhas frescas que são colocadas de molho em urina fermentada. Coloque 5 litros de urina em um pote. Cubra-o com uma tampa firme e coloque-o em um local aquecido para fermentar por seis semanas. A seguir, triture aproximadamente 1 kg de folhas frescas de anil e adicione isto ao pote, misturando bem com uma vara. Deixe o líquido assim por 3–4 dias. Adicione 0.5 kg de algodão limpo e húmido e misture com cuidado. Quanto mais tempo o algodão for deixado no pote, mais forte a cor se tornará. Alguns corantes de plantas Folhas de eucalipto (goma azul) mordente : alume cor: amarelo Folhas de eucalipto (goma azul) casca de eucalipto Mordente: sulfato de cobre cor:verde/marrom Cascas de grenadilha (maracujá) mordente: alume ou cromo cor: marrom Cebola (casca marrom externa sem uso) mordente: alume ou creme de tártaro cor: amarelo Cascas de nozes (frescas ou secas) mordente: não é necessário marrom escuro Anil (um vegetal) mordente: não é necessário cor: azul escuro Cascas de soja preta mordente: não é necessário cor: violeta-marrom Grãos de soja preta mordente: água ferrosa cor: cinza prateado Cascas vermelhas de amendoim mordente:casca de eucalipto e sulfato de cobre cor:vermelho/marrom Cascas de manga e caroços ou folhas mordente: casca de eucalipto e alume cor: amarelo Cascas de manga e caroços mordente: casca de eucalipto e sulfato de cobre cor: marrom/laranja Cascas de milho (variedade vermelha) mordente: não é necessário cor: púrpura Sorgo vermelho (folhas bem amassadas) mordente: suco de limão e cinza de vegetais cor:vermelho outros corantes: beterraba, páprica, laranja, urucum, bixa orellana, cúrcuma, uvas, framboesa, morango, amora… FONTES PRINCIPAIS PARA A EXTRAÇÃO DE CORANTES NATURAIS, PODEMOS DESTACAR: Reflorestamentos de eucaliptos, pinus e outros; Serrarias, marcenarias e depósitos de madeiras; Mercados e feira livre; Sítios, chácaras, parques e beiras de estradas; Pomares, plantações e hortas; Lugares onde se vendem ervas e plantas medicinais;Hortos florestais e jardins botânicos; Receitas de mordentes MORDENTE DE ALUME: Adicione uma xícara de chá de alume e, se disponível, 2 colheres de mesa razas de creme de tártaro em 5 litros de água (um quarto de um balde grande). Dissolva os produtos químicos em água morna e deixe o algodão de molho por 24 horas. MORDENTE DE TANINO: Pó de tanino pode ser comprado mas você pode também usar cascas de árvores que contenham uma grande quantidade de tanino. Use 2 colheres de mesa cheias do pó ou 500 g de casca da acácia africana ou de eucalipto ou da árvore mimosa espinhosa. Ferva isto em 5 litros de água e deixe o algodão de molho por 24 horas. MORDENTE DE SULFATO DE COBRE: Misture 500 g de casca de eucalipto com uma colher de chá cheia de sulfato de cobre. Ferva também em 5 litros de água e deixe o algodão de molho por 24 horas. MORDENTES DE METAL: Pode-se fazer mordentes de ferro, cromo ou estanho fervendo-se alguns destes metais em água. Para se fazer mordentes de ferro, por exemplo, ferva 5 litros de água com 2 xícaras de vinagre e uma xícara de pregos enferrujados por uma hora. Deixe descansar por 24 horas e então separe a água.  

     
]]>

VOCÊ PODE GOSTAR

Share on FacebookShare on Google+Pin on PinterestTweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone
COMPARTILHE